×
Imunização

Exército dos EUA começa a dispensar soldados que recusam vacina

A grande maioria das tropas em serviço ativo recebeu pelo menos uma dose

Estados Unidos (EUA) – Militares norte-americanos que se recusarem a receber vacina contra covid-19 serão dispensados imediatamente, informou o Exército dos Estados Unidos (EUA) na quarta-feira (2). A medida é fundamental a fim de manter prontidão para o combate.

A ordem se aplica a soldados regulares do Exército, reservistas em serviço ativo e cadetes, a menos que tenham isenções aprovadas ou pendentes, disse o Exército em comunicado.

A ordem de dispensa é a mais recente de um braço militar dos EUA que remove os militares não vacinados em meio à pandemia, depois que o Pentágono tornou a vacina obrigatória para todos os militares em agosto de 2021.

A grande maioria das tropas em serviço ativo recebeu pelo menos uma dose.

“A prontidão do Exército depende de soldados preparados para treinar, lutar e vencer as guerras de nossa nação”, disse a secretária do Exército, Christine Wormuth. “Soldados não vacinados apresentam risco para a força e comprometem a prontidão.”

Outras áreas das Forças Armadas dos EUA, incluindo a Força Aérea, já começaram a remover aqueles que optaram por não receber a vacina contra covid-19, autorizada pela primeira vez para uso emergencial em dezembro de 2020.

Leia mais:

Grupos a favor e contra a obrigatoriedade da vacina na volta às aulas protestam na CMM

Escolas de samba de Manaus mobilizam comunidades para vacinação no sábado (5)

Grávidas vacinadas podem voltar ao trabalho, decidem deputados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.