×
Caso Lucas

Mãe de sargento assassinado comemora prisão de donos do Vitória

A mãe relatou que a dor da perda do filho ainda é grande

Manaus (AM) – A mãe do sargento do Exército Lucas Guimarães comemorou a prisão dos envolvidos no assassinato do filho. Os donos da rede de supermercados Vitória, Joabson Agostinho Gomes e Jordana Azevedo Freire, foram presos na manhã desta quarta-feira (9).

Apesar da dor da perda do filho ainda ser grande, o fato do caso começar a se elucidar é uma esperança para os pais de Lucas, que foi morto dentro da própria cafeteria no dia 1º de setembro de 2021. Em entrevista para um veículo de comunicação local, Livânia Guimarães, revelou estar aliviada.

O crime teria sido motivado por uma relação extraconjugal entre Jordana e Lucas, ambos casados. O marido da mulher, Joabson, descobriu a traição e mandou matar o sargento. A mãe da vítima espera que eles assumam a responsabilidade pelo assassinato.

“Eu como mãe, estou na expectativa que esse casal comece a falar, porque já está na hora, não adianta mais ficar calado. Eu fico me perguntando como um casal, pais, se submeteram a uma situação dessa, matar um pai de família”. 

Em outra parte da entrevista, Livânia conta que o marido e pai de Lucas, ainda fica muito abalado ao falar sobre o caso e que sofre com a perda do filho. A expectativa agora é que o caso siga para julgamento e que eles paguem pelos crimes.

Lucas morava em Manaus e os pais moram em João Pessoa (PB). A mãe do sargento revelou que quando houver o julgamento, ela virá à capital amazonense para acompanhar.

“Apesar de estar distante, com certeza estarei presente quando tiver o julgamento. Será um momento muito importante para minha vida, justiça pelo meu filho”, contou.

Relembre o caso

Lucas Guimarães foi morto com quatro tiros no dia 1° de setembro dentro da própria cafeteria, na avenida Ayrão, bairro Praça 14 de Janeiro, na zona Sul da capital.

O homicídio do sargento teria sido ordenado por Joabson Agostinho Freire, dono da rede de supermercados Vitória.

Joabson teria mandado matar o sargento após descobrir que a esposa, Jordana Azevedo Gomes, mantinha um caso extraconjugal com ele. A própria Jordana teria contado sobre o caso extraconjugal para o marido.

Quantias em dinheiro

Além disso, Jordana também teria entregue quantias em dinheiro para Lucas, que era genro do dono do Hospital Santa Júlia, localizado ao lado da cafeteria. O rapaz teria chegado a receber valores na ordem de R$ 200 mil de Jordana, mas devolveu o dinheiro para a então amante.

Em uma das ocasiões, um funcionário da rede de supermercados teria ido buscar o dinheiro com o sargento no quartel do Exército, onde ele era lotado. Jordana sabia do homicídio e foi considerada cúmplice.

Prisão e soltura

Jordana e Joabson chegaram a ter a prisão decretada e passaram cerca de um mês presos. No entanto, eles foram soltos após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que considerou haver irregularidades na prisão temporária do casal.

Recompensa pelo pistoleiro

Já no dia 12 de novembro, a família de Lucas Guimarães veio a público oferecer uma recompensa de R$ 40 mil para qualquer pessoa que tivesse informações sobre o pistoleiro que matou o empresário.

No dia 22 de novembro, o pistoleiro Silas Ferreira da Silva, foi preso e confessou ter recebido R$65 mil para executar Lucas. O criminoso está preso preventivamente.

Novos cúmplices

Nesta quarta (9), além de Jordana e Joabson, outras duas pessoas foram presas:  Romário Vinente Bentes e Kamylla Tavares da Silva. Mais duas pessoas estão sendo procuradas

Leia mais:

Donos do Vitória são presos novamente pela morte de sargento em Manaus

Homem é executado a tiros em frente a bar no Centro de Manaus

Homem é executado a tiros em beco na Praça 14 de Janeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.