×
ECONOMIA

Indústria do Amazonas fecha o ano de 2021 com crescimento de 6,4%

Em dezembro, a produção industrial do Estado avançou 14,0%, em relação ao mês anterior

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM) regional foi divulgada hoje (9) pelo IBGE.

Manaus (AM) – Apesar de ter passado por oscilação na produção durante o ano, a indústria do Amazonas fechou 2021 em alta. Em dezembro, a produção industrial do Estado avançou 14,0%, em relação ao mês anterior.

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM) regional, divulgada hoje (9) pelo IBGE, mostra que, em dezembro de 2021, na comparação com novembro, a produção industrial do Amazonas cresceu 14,0%, e a média nacional também apresentou avanço (3,9%).

Na comparação com dezembro de 2020, houve avanço de 2,3%.

Com o resultado, o Estado fecha o ano de 2021 com crescimento de 6,4%. No Brasil, o crescimento foi de 3,9%, no ano; e 9 dos 15 locais pesquisados terminaram o ano com alta na produção industrial.

A Indústria Geral do Amazonas avançou 6,4% em 2021. Nesse sentido, a seção das Indústrias de transformação foi a que apresentou maior crescimento (6,2%). Já as indústrias extrativas, na contramão, apresentaram queda de 1,2%, em 2021.

“O ano de 2021 fechou no positivo, mas foi volátil durante os meses. No primeiro semestre a trajetória foi mais crescente, e o ganho acumulado chegou a ser de 13%. Mas, no segundo semestre, houve perda de fôlego e a produção teve sequência de quedas”, explica Bernardo Almeida, gerente da pesquisa. 

Crescimento do Amazonas no ano foi o 5º maior

O crescimento da indústria amazonense, de 6,4%, no acumulado do ano de 2021, foi o 5º maior entre as 15 unidades da federação pesquisadas. Os piores desempenhos foram os da Bahia (-13,2%), Goiás (-4,0%) e Pará (-3,7%); e os melhores foram os de Santa Catarina (10,3%), Minas Gerais (9,8%) e Paraná (9,0%).

A Indústria Geral do Amazonas avançou 6,4% em 2021. Nesse sentido, a seção das Indústrias de transformação foi a que apresentou maior crescimento (6,2%). Já as indústrias extrativas, na contramão, apresentaram queda de 1,2%, em 2021.

De forma geral, observa-se recuperação em relação ao ano de 2020, que foi de queda na produção industrial.

Entre as atividades industriais das indústrias de transformação, a que apresentou maior alta foi a fabricação de produtos de borracha e material plástico (41,0%), e a atividade com maior queda foi a impressão e reprodução de gravações (-63,7%).

Apenas duas das nove atividades pesquisadas apresentaram queda no ano, no Estado.

Amazonas apresenta maior avanço

Quando comparamos novembro com dezembro de 2021, dos dez locais no Brasil com taxas positivas, o destaque é para as expansões no Amazonas (14,0%), Goiás (8,8%) e Paraná (7,6%), que reverteram as perdas observadas no mês anterior de -2,1%, -1,6 e -0,2%, respectivamente, e tiveram os melhores resultados na variação mês/mês anterior.

Os piores desempenhos foram os de Santa Catarina (-2,7%), Rio Grande do Sul (-2,1%) e Pará (-1,7%).

Desempenho por atividades – variação mensal

Em dezembro de 2021, na comparação com dezembro de 2020, as indústrias de transformação tiveram alta de 2,3% e as indústrias extrativas, alta de 1,0%.

As atividades locais, das indústrias de transformação, que tiveram resultado positivo e contribuíram para o desempenho da indústria amazonense, no período, foram a Fabricação de produtos de borracha (27%), Fabricação de bebidas (17,2%), Fabricação de máquinas e equipamentos e materiais elétricos (13,2%) (conversores, alarmes, condutores e baterias), e Outros equipamentos de transportes (2,8%) (motocicletas e suas peças).

Também na comparação mensal, outras atividades tiveram desempenho negativo, tais como: Impressão e reprodução de gravações (-36,5%) (DVDs e discos), Fabricação de máquinas e equipamento (-21,8%) (artefato de aço e tampas e cápsulas), Fabricação de equipamentos de informática e eletrônicos (-8,2%) (celular, computador e máquinas digitais), Fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (-5,1%) (gás natural), e Fabricação de produtos de metal (-2,4%) (lâminas, aparelhos de barbear, estruturas de ferro).

*IBGE AMAZONAS

Leia mais:

Integração entre órgãos marca primeira reunião do ano do Distrito Bioagroindustrial da Amazônia de Rio Preto da Eva

Vendas de veículos caem 38,5% em janeiro, aponta Anfavea

Manaus lidera ranking nacional de empregabilidade no Sine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.