×
SAÚDE

Manaus amplia acesso à profilaxia pré-exposição ao HIV

A PrEP não é direcionada para todos os públicos, e sim indicada, segundo o Ministério da Saúde, para populações mais vulneráveis ao HIV

A Profilaxia Pré-Exposição ao HIV combina dois medicamentos (tenofovir + entricitabina), que agem evitando que o HIV infecte o organismo.

Manaus (AM) – Na sexta-feira (18) a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), ampliou o número de Unidades de Saúde que oferecem a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP), estratégia que reduz em mais de 90% o risco de infecção pelo HIV.

Além da Clínica de Saúde da Família Raimundo Franco de Sá, na zona Oeste, que oferece o serviço desde março do ano passado, a rede municipal iniciou a oferta do serviço em mais três Unidades de Saúde: clínica da família Carmen Nicolau (zona Norte), clínica da família Desembargador Fábio do Couto Valle (zona Leste) e Unidade Básica de Saúde (UBS) Dr. Luiz Montenegro (zona Sul).

Durante cerimônia de lançamento do novo serviço na clínica da família Desembargador Fábio do Couto, no bairro Jorge Teixeira III, a secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, explicou que a PrEP consiste no uso diário de medicação antirretroviral que tem a função de impedir que a pessoa seja infectada pelo HIV, e é indicada para públicos específicos com maior chance de entrar contato com o vírus.

Em um ano de oferta do serviço na clínica da família Franco de Sá, na zona Oeste de Manaus, a Semsa registrou cerca de 600 pessoas cadastradas, o que mostra que existe demanda e por isso é importante a descentralização do atendimento. Com um serviço implantado em cada zona urbana, a população terá o acesso mais facilitado ao serviço e, assim, tem mais um incentivo para cuidar da própria saúde, buscando ações de prevenção. E a Semsa pretende continuar o trabalho de descentralização da PrEP com a meta de oferecer o serviço em mais Unidades de Saúde”, ressaltou Shádia Fraxe.

A PrEP não é direcionada para todos os públicos, e sim indicada, segundo o Ministério da Saúde, para populações mais vulneráveis ao HIV – gays e outros homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, trabalhadores/as do sexo e casais sorodiferentes (quando um dos parceiros vive com HIV e o outro não) – e pessoas com maior chance de entrar em contato com o vírus por não usarem preservativos nas relações sexuais e estarem mais expostas ao risco de infecção.

A Profilaxia Pré-Exposição ao HIV combina dois medicamentos (tenofovir + entricitabina), que agem evitando que o HIV infecte o organismo.

Segundo a chefe do Núcleo de Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids) e Hepatites Virais da Semsa, Rita de Cássia Castro de Jesus, considerando que o medicamento deve ser administrado diariamente, as equipes das Unidades de Saúde realizam uma avaliação para identificar se a pessoa tem realmente o perfil para aderir de forma efetiva ao uso do medicamento, reduzindo risco de abandono.

Dependendo do perfil, os profissionais de saúde oferecem outras formas de prevenção. Para a oferta da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV, as quatro Unidades de Saúde contam com equipes formadas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, entre outros, que foram capacitados para realizar o atendimento”, informou Rita de Cássia.

Para fazer o cadastro no serviço, os pacientes devem receber orientações e, antes de iniciar a profilaxia, realizar exames para avaliar a saúde física em geral e exames para o diagnóstico do HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis; realizar exames regulares para o acompanhamento médico, que vai permitir verificar se o organismo está reagindo bem aos medicamentos; e também é feita a oferta de vacinas aos pacientes.

Atendimento

Na clínica da família Carmen Nicolau, localizada na rua Santa Tereza D’ávila, s/nº, Lago Azul, zona Norte, o atendimento da população para a PrEP ocorre de terça a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 16h.

Na clínica da família Desembargador Fábio do Couto Valle, na avenida Brigadeiro Hilário Gurjão, s/nº, no Jorge Teixeira III, zona Leste, o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Na UBS Dr. Luiz Montenegro, localizada na rua Pico das Águas, nº 527, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Sul, a população pode procurar o serviço de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 13h às 18h.

Já na Clínica de Saúde da Família Raimundo Franco de Sá, na rua Virgílio Ferreira, nº 112, Nova Esperança, zona Oeste, o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h.

Serviços

Além da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV, a Prefeitura de Manaus oferece diversos serviços para a prevenção e controle do HIV/Aids, o que envolve a distribuição gratuita de preservativos em todas as Unidades de Saúde, a oferta de teste rápido para HIV em 195 Unidades de Saúde e prevenção à transmissão do HIV da mãe para o bebê durante a gravidez.

A Semsa realiza ainda o atendimento e acompanhamento das pessoas com diagnóstico positivo para HIV em quatro Serviços Municipais de Assistência Especializada (SAE), que funcionam nas policlínicas Comte Telles, zona Leste; José Antônio da Silva, zona Norte; clínica da família Antônio Reis, zona Sul; na clínica da família Franco de Sá, zona Oeste; e nas UBSs Arthur Virgílio Filho, zona Norte, e Leonor Brilhante, zona Leste.

Transmissão

A transmissão do HIV acontece principalmente pela relação sexual (vaginal, anal ou oral) desprotegidas (sem camisinha), mas também pode ocorrer da mãe para o bebê durante a gestação, o parto e a amamentação; ou por contato com sangue contaminado no compartilhamento de objetos que cortam ou furam (seringas, agulhas, lâminas de barbear e alicates de unha).

Dados sobre HIV/Aids em Manaus

Em 2021, o município de Manaus registrou 1.189 casos de infecção pelo HIV e 751 de Aids (estágio da doença da infecção pelo vírus).

Em relação a 2020, os dados representam aumento de 11,6% nos casos de HIV e de 28,6% nos casos de Aids.

Os dados mostram o impacto da pandemia da Covid-19 em 2020, quando muitas pessoas deixaram de procurar uma Unidade de Saúde pelo risco de transmissão do novo coronavírus e, assim, houve uma redução nos exames e diagnósticos da infecção. Em 2021, com o início da vacinação e maior controle da pandemia, a demanda nas UBSs voltou a ser próxima a do registrado no período pré-pandemia, ocasionando um maior número de diagnósticos e, consequentemente, um aumento no número de casos registrados”, esclareceu Rita de Cássia.

*Com informações da assessoria

Leia mais:

Semsa convoca mais 73 profissionais de saúde para contratação temporária 

Prefeitura vai reforçar necessidade de atualização do calendário nacional de vacinação

Prefeitura convoca mais 30 profissionais de saúde para contratação temporária

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.